COMO REALIZAR UMA REANIMAÇÃO CARDIO PULMONAR EM UM ADULTO

reanimacao-cardiopulmonar-capa

COMO REALIZAR UMA REANIMAÇÃO CARDIO PULMONAR EM UM ADULTO?

O que é o RCP?

A reanimação cardiopulmonar (RCP) ou reanimação cardiorrespiratória (RCR) é um conjunto de manobras destinadas a garantir a oxigenação dos órgãos quando a circulação do sangue de uma pessoa para (parada cardiorrespiratória). Nesta situação, se o sangue não é bombeado para os órgãos vitais, como o cérebro e o coração, esses órgãos acabam por entrar em necrose, pondo em risco a vida da pessoa.

A técnica da reanimação Cárdio pulmonar em adultos é fácil, tendo uma noção básica de reanimação e sabendo avaliar o paciente e saber se ele realmente está em parada Cárdio respiratória.

 Realizando uma reanimação cardiopulmonar

cadeias-de-sobrevida_square

A American Heart ensina que você deve posicionar a região hipotênar (também chamada de calcanhar das mãos) com a mão predominante de preferência sobre o tórax do paciente, e sempre deixar os braços estendidos, não podendo flexionar nem o cotovelo e nem os punhos, e a mão sempre ficará posicionada no tórax do paciente entrelaçada e inclinada em 90 graus. E sempre movimentando a coluna e não os braços.

As mãos sempre em cima do osso externo, tendo em mente que não se deve de jeito algum fazer as compressões nas laterais do tórax, elas precisam ser feitas exatamente em cima do osso externo, e totalmente centralizada.

Por quanto tempo e quantas compressões devo fazer?

RCP sozinho

A técnica da RCP exigi treino, principalmente pelas pessoas que estão iniciando nessa área.

Se estiver sozinho, faça o reconhecimento, acione o SME e inicie RCP. Reveze com outra pessoa a cada 2 minutos, não esquecendo de avaliar a respiração ou pulso caso seja profissional de saúde.

RCP em equipe

Mas se estiver em equipe, irá fazer RCP em 5 ciclos, de 30 compressões por 2 ventilações em até 2 minutos e então fazer a troca dessa pessoa que está fazendo a compressão cardíaca, para que assim a efetividade das compressões não seja afetada pelo cansaço. Devido o aumento do ritmo da RCP (100 a 120 compressões/ min) é aceitável realizar até 6 ciclos em 2 minutos, com profundidade de 5 a 6 centímetros.

É muito importante manter o ritmo das compressões e a profundidade durante todo o processo

Uma RCP bem-sucedida depende de que?

Uma Reanimação Cardiopulmonar bem feita depende de vários de procedimentos que pode ser utilizada no conceito de corrente de sobrevivência. Esta corrente de sobrevivência é feita de elos que refletem em ações muito importantes a serem realizadas, e os impactos na sobrevivência de uma vítima de PCR são grandes e que não podem ser considerados casos isolados, até porque nenhuma destas atitudes sozinhas pode reverter a maioria das PCRs.

O foco da RCP deve ser colocado em compressões torácicas de qualidade, com frequência e profundidade adequadas. O próprio sucesso de uma desfibrilação depende da qualidade das compressões torácicas realizadas.

Muitas vítimas de PCR ressuscitadas morrem nas primeiras 24 a 36 horas de disfunção miocárdica, e outras tantas sobrevivem com disfunção e sequelas cerebrais importantes. É necessária uma atenção especial aos momentos iniciais pós-ressuscitação, com ventilação e oxigenação adequadas, controle da pressão artéria.

Qual a importância de um bom treinamento de RCP?

As habilidades adquiridas após um treinamento em RCP podem ser perdidas em tempo muito curto, caso não utilizadas ou praticadas. E isso acaba reforçando a necessidade da simplificação do treinamento para quem não tem conhecimento nenhum da área da saúde.

Ou seja, quanto maior a necessidade de um profissional de saúde atender um caso de parada cardio respiratória (equipes de pronto-socorro, equipes de atendimento pré-hospitalares…), maior a necessidade de aumentar o tempo e a intensidade dos treinamentos de RCP, para que assim tenha total domínio de todas as habilidades, procedimentos e dispositivos.

Concluindo, é muito importante termos totais conhecimento de como é feita a reanimação Cárdio pulmonar, e alguns objetos usados na hora de aplicar o RCP, tais como o dispositivo bolsa valva mascara, ou a cânula de faringe. Nós não temos margem de erro na hora do atendimento, então saber a posição certa das mãos e do ponto onde se deve aplicar as compressões torácicas, é de extrema importância.

O que acharam?

O que acharam desse artigo? Conseguiram entender um pouco mais sobre o RCP e como aplica-lo?

Deixe um comentário logo abaixo sobre o que você mais gostou nesse artigo, sobre alguma dica extra que você tenha, um conteúdo que vocês queiram ver aqui no blog, ou alguma dúvida.

Se você está gostando dos nossos artigos e quer ajudar mais pessoas a saberem sobre o CAB, além de vários outros assuntos que são muito relevantes para os profissionais da saúde.  Clique em algum dos links abaixo para ajudar a divulgá-lo.

Facebook

Instagram

Gostaria de ver a versão em vídeos do CAB? Então é só dar um play aqui embaixo, e aprender com o mestre Maicon Rodrigo: